Forum dos alunos do Curso de Escrita Criativa do El Corte Inglés
Terça-feira, 17 de Outubro de 2006
fo(o)d talk - alex
mulher de quarenta, eu só quero ser seu namorado. «mas que bela canção para uma viagem de táxi em dia de chuva. bem, a do João Pedro Pais de ontem era bem pior». nada se assemelha realmente às rimas forçadas do rapaz, sobretudo a uma estrofe que reza algo como o trem arranca depois das três. «vistas bem as coisas, o Roberto Carlos não é assim tão mau e a faixa não deve durar até ao jardim zoológico.» é triste quando nos enganamos redondamente. atravessada a embaixada do bush e o auto-rádio do táxi continua a martelar-me o cérebro algo abalado pela febre com não importa a idade, a felicidade, chega um dia que vem. «já não deve faltar muito, nasci mesmo para sofrer». Eis senão quando, o motorista se lembra de abrir a boca. o que, em noventa e nove por cento dos casos, é sinal de «mas que mal fiz eu aos deuses todos. e este trânsito que não ata nem desata». Estava certa. “Ele tem razão, as de quarenta é que são boas”. «eu sabia que não devia ter saído de casa». tento esboçar um sorriso. Mas não funciona. “As de vinte taditas, não valem nada. as quarentonas, sim, estão calejadas, já percebem da coisa”. “pois”, não dá para dizer mais nada. «para o que eu estava guardada, dasse». Av. Das Forças Armadas. “Tenho uma amiga de 48 que diz que agora é quer sexo”. «mas por que não vim eu de carro?!». silêncio. “E já viu esses paneleiros todos que aí andam? São cada vez mais, não sabem o que é bom…”. «socorro!». “Eles lá sabem” foi a resposta possível. Campo Pequeno. Já está a passar outra música qualquer, felizmente. “Como se lê aquilo?”, pergunta o taxista, apontando para uma carrinha onde se lê food services. «este está-se a esticar». “Fud, quer dizer comida em inglês. Dois os em inglês lê-se u”. “Mas que inteligente. E se for só um?” «ai, ai, ai, vamos lá manter a pose». “Lê-se fode, aí sim, lê-se fode”. «estive bem e o destino não está longe». Túnel, não o taxista não faz nenhum trocadilho acerca da via, insiste no food e no fode agora acerca de uma marca de camiões do tempo da outra senhora. “Sabe, cada língua é uma língua”. confesso que depois desta temi o pior, mas o homem acalmou. “felicidades, menina”. “igualmente”. sã e salva salto do táxi. chega de conversa de sexo por hoje. telemóvel. “estás onde, ao pé do Técnico? Vê lá se te confundem”. Bahhh….


publicado por Perplexo às 20:07
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Lançamento de livro de al...

13º Curso de Escrita Cria...

"Um livro pouco Important...

Décimo segundo curso de E...

"Antes de começar", e Alm...

Carta de desamor, de Nuno...

Carta de desamor, de Ana ...

Carta de desamor, de S. M...

"A Saga de um Pensador", ...

Carta de desamor, de Manu...

arquivos

Abril 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds