Forum dos alunos do Curso de Escrita Criativa do El Corte Inglés
Quarta-feira, 14 de Março de 2007
Canhão

As palavras saem à pressa, numa velocidade estonteante; a cortar o vento, a cortar a carne, a rasgar, a rasgar, a rasgar. Flechas e espadas reluzentes, mais rápidas do que consigo pensar. Do que quero.


Pensar.


O latejar do cérebro fura-me a massa cinzenta e eu não quero ser cinzento neste mundo grisalho. Não! Tudo se passa em duplicado, triplicado, numa dose maciça de informação que me obstrui as veias. Quase morro sem a certeza de saber se estou vivo, se alguma vez estive. Vivo. Ou não, pouco importa. A vida não espera por nós e nós também não lhe faremos o favor. As palavras são frenéticas, as frases são curtas. Vivo ou não, a quem importa? Cale-se o testemunho de palavras que ninguém vai ouvir; não há tempo para carpir. Em fábricas de brincar, fábricas de fugir. Vivo não, a alma está morta. A aceleração de palavras que tombam no chão como carros fendendo a estrada em dois, em três, em tantos pedaços de uma só vez - becos sem fim. Imagens breves em flashes, relâmpagos manchando os céus. Aclaram-se as masmorras por detrás dos véus. Tudo fica na retina de quanto alcançam os olhos. Mortos e feridos. Luzes néon a esvoaçarem. Paredes de cimento. Electrochoques. Os raios rebentam no betão. As dores sufocam-me o fato polido. Em loucura insana asfixio. É o rodopio neste carrossel atroz. Tenho de sair.


Sair.


Desta sociedade de pressão avulsa, onde o cérebro sempre, sempre pulsa e o coração, qual canhão, dispara o homem-bala.



publicado por Perplexo às 12:26
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Lançamento de livro de al...

13º Curso de Escrita Cria...

"Um livro pouco Important...

Décimo segundo curso de E...

"Antes de começar", e Alm...

Carta de desamor, de Nuno...

Carta de desamor, de Ana ...

Carta de desamor, de S. M...

"A Saga de um Pensador", ...

Carta de desamor, de Manu...

arquivos

Abril 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds